quarta-feira, 27 de julho de 2011

A FAMILIA E OS DESAFIOS DA PÓS-MODERNIDADE.

                A pós-modernidade é tanto uma noção histórica quanto uma ideologia filosófica muito fraca. Mas não podemos negar, que tem causado um efeito danoso muito grande á família. Entender o pensamento pós-modernista que hoje toma conta do mundo e que tem causado tantas transformações sem nenhuma base bíblica é  indispensável para a sobrevivência da família cristã.
Não tenho duvidas de que os efeitos do pós-modernismo sobre a família tem sido devastadores. No entanto precisamos conhecer, do contrario, esta ameaça tende a potencializar os seus resultados não só na família mas no cristianismo de um modo geral. (O pós-modernismo é a coalizão de diversos pensadores vindos de disciplinas acadêmicas bastantes diferentes).
Alguém já disse que a pós-modernidade age como um gigantesco martelo de aço martelando as instituições. E a família cristã não tem ficado imune a estes ataques. Pois o inimigo de nossas almas tenta destruir a igreja em seu ponto mais vulnerável: A família. Por isso ele ataca as famílias cristãs em geral, e particularmente a dos lideres cristãos.
Sempre houve tempo difícil para a humanidade. Mas em nenhum outro tempo fora tão difícil o quanto está sendo agora. Tempo em que os nossos valores e cultura têm sido influenciados pela pós-modernidade, e muitas famílias cristãs tem absorvido todas estas mudanças sem nenhum questionamento. Houve um tempo em que tínhamos parâmetros, razão e a sã doutrina. Hoje o que tem sido valorizada posta em pratica é  a palavra do homem. (A filosofia de Karl Marx – Hegel, e tantos outros). Quando um cristão se posiciona contra o relativismo, o secularismo, o pragmatismo, o materialismo, contra as inovações teológicas e modismos atuais imediatamente começa a sofrer pressões.
A família tem sido atacada diuturnamente pelo pós-modernismo com o intuito de destruir os seus alicerces.    
A família é um projeto de Deus.
A família é a base da sociedade.
O projeto de Deus tem sido atacado ferozmente nestes últimos dias.
Por isso tem se constituído um desafio muito grande para a família cristã. Na era pós-modernidade conduzir a família de conformidade com os preceitos e leis estabelecidos por Deus.    
O projeto de Deus tem sido atacado:
No cônjuge: O inimigo de nossas almas tem procurado por todos os meios destruir os laços familiares, com a finalidade de frustrar o plano de Deus para a raça humana. (O primeiro ataque ocorreu no Éden).
Hoje é atacado com formas iníquas de união. Uma sexóloga declarou, recentemente, a uma revista de circulação nacional que o casamento é a pior forma de união, pois acaba com o estimulo sexual; e ainda mais, disse ela: Dentro de poucos anos, o sexo terá que ser grupal – vários homens e varias mulheres. (Essa é a proposta do movimento nova era, que mistura filosofia, com religião e cultura)
A homossexualidade: Passou a ser uma “opção de vida”. A pós-modernidade procura distorcer os ensinos cristãos sobre a sexualidade. A palavra de Deus condena, de modo veemente, e muito claro, a pratica homossexual.
O adultério: deixou de ser traição e se tornou uma “aventura”.
O sexo pre-conjugal: (inclusive entre os jovens cristãos).
Deixou de ser pecado para ser uma “experiência valida”. 
O sexo pre-conjugal não é uma “experiência valida” é um ato de egoísmo e de violência contra as emoções e os sentimentos de um ser humano. (v 12).
Quando praticado perde-se a noção da realidade das conseqüências físicas, emocionais, psicológicas e espirituais da outra pessoa. (v.12).
Traz culpa e vergonha, são resultados contrários aos que Deus preparou para o casamento. (v.13).(II Sm 13:12-17;)
O aborto: Deixou de ser assassinato e se tornou um “direito constitucional que a mulher tem sobre o seu corpo” (Is 5.20;)
O sexo pode ser virtual: Via internet, não tem problema nenhum.
A família: A família sofreu ataque no passado e sofre também no presente. Para os pós-modernistas a família é formada de um casal do mesmo sexo, podendo adotar um filho, sem problema nenhum, já é uma família. A Lei Maior da nossa nação é clara: União estável ocorre entre homem e mulher. É vergonhoso ver os Nobres Ministros do STF – guardiões da Constituição – ignorarem esse texto da nossa constituição e terem decidido que a união de pessoas do mesmo sexo equipara-se á união estável. Isso é uma vergonha, não estão ferindo apenas a constituição do nosso País como também a lei de Deus que é a base para toda e qualquer legislação, e ainda mais exercendo uma função que não lhe cabe.  
O divórcio: Em alguns países chamado de primeiro mundo, é possível trocar de casal como se troca de roupa. É como se o divórcio fosse a solução para todos os problemas no casamento. Só que hoje o divórcio não é a causa dos problemas no casamento, mas é conseqüência. (As duas escolas no período interbiblico, no Velho Testamento e no Novo Testamento) Mt 19.9;
Na educação: Um dos maiores desafios para a família cristã na pós-modernidade, é a educação materialista, secularizada e relativista, que é lograda aos estudantes, desde o ensino fundamental, passando pelo nível médio, até a universidade, quando os ensinos materialistas e ateístas são reforçados, com o peso dos cursos de terceiro grau, acentuando-se, ainda mais, nos cursos de pós-graduação. Hoje grande parte de adolescentes e jovens que se afastam do caminho do Senhor é pelo fato de serem seduzidos pelos falsos ensinos  da “falsamente chamada ciência”.
          Fazendo uso das palavras do pastor Elinaldo Renovato, “Nas escolas seculares , de orientação materialista, não há lugar para Deus. Há lugar para tudo e para todos, mas não há lugar para Deus.” “A soberba  dos mestres materialistas é tão elevada, que zombam de todos os que têm a coragem de professar sua fé diante dos acadêmicos.” Na realidade os materialistas, que se consideram intelectuais, defensores de um mundo pluralista e democrático, não suportam ouvir opiniões diferentes das suas. Apelam logo para a critica destrutiva e o deboche, muitas vezes bem desrespeitosos contra os que estão diante deles, na condição de alunos. Pior ainda perseguem os cristãos sinceros”.
O relativismo: Não quero aqui falar das teses do relativismo ético como: Relativismo cultural, Normativo, Metaético, Ceticismo ético, e principio da tolerância mas dizer que: Na pós-modernidade os conceitos morais não se guiam por valores absolutos, tais como integridade, honestidade, santidade e temor a Deus. Portanto constitui-se um desafio para a família cristã, procurar viver uma vida de integridade, tendo como padrão os princípios cristãos indicados na palavra de Deus, assim como, Daniel, José, Timóteo, Jeremias, Samuel e tantos outros homens de Deus que viveram uma vida integra.
A história prova que a relatividade moral gera o caos e, conseqüentemente, a queda da sociedade. Atualmente tudo é relativo. A verdade não existe e cada um deve agir e viver como melhor lhe parecer. Isso é um retrocesso (Jz 21.25) a uns 3.000 mil anos na sua história.  
Essa filosofia tem levado a nossa geração a ter aversão aos padrões morais preestabelecidos para a sociedade e as leis morais estabelecidas por Deus. Para que vivamos de maneira digna do evangelho (Rm 2.11-15).    
A pós-modernidade rejeita a verdade, como “verdade absoluta”. São os Pilatos dos nossos dias. Rejeita a idéia de padrões universais. Hoje nada mais é “verdade absoluta”; tudo é relativo. O que é verdade para uns, não precisa, necessariamente, ser verdade para outros.
É verdadeiro dizer que aquilo que é realmente é ou que aquilo que não é realmente não é. Aristóteles, Metafísica (Dt 18.22; João 18.37-38;).
O secularismo: Um dos perigos do secularismo é a ausência de pessoas sensíveis. Pois o secularismo torna as pessoas insensíveis, não há da parte delas nenhuma comoção no que diz respeito ás injustiças sociais praticadas. Tornam insensíveis com o sofrimento do seu próximo. Torna-os alheios aos acontecimentos como o crescimento da prostituição, da criminalidade e de tantos outros problemas que assola a sociedade.
No secularismo vemos:     
A ausência de valores absolutos e princípios éticos.    
Vemos, a busca do prazer a qualquer custo.
Vemos, o consumismo descontrolado. O pobre vive sonhando, trabalha para consumir e consome o que trabalha.
Vemos a liberdade de escolha. É hora da imagem pirotécnica, onde se olha para uma pessoa e diz, é essa, este é o homem, tem tudo, é completo. É glamour puro. (só tem imagem), (I Sm 10.21-24; 16.6-7;). Sem direção de Deus para a escolha.
Vemos o avanço tecnológico. Que tem sido mais para uso do mal do que do bem.  
Vemos a mídia. hoje como o principal formador de opiniões que temos.
              A mídia dita a moda de amanhã, os costumes e o caráter do ser humano.
Vemos, superficialidade de relacionamento: Creio eu que esse tem sido o maior desafio da família no secularismo da pós-modernidade.  
Atualmente muitos têm a família como um projeto que precisa terminar. Quando na verdade a família é um projeto de Deus. Cabe a essa família buscar constantemente um melhor relacionamento consigo mesma e com, qualidade.

CONCLUSÃO:
      Os efeitos da pós-modernidade têm desintegrado a família. Na família da pós-modernidade ás vezes tem carisma, mas não tem caráter.
As vezes tem um grupo de alienados. O pai não raciocina, não vê o futuro, simplesmente porque entrou na onda do pós-modernismo.
A mãe não é diferente, e o filho vivendo nesse ambiente também não faz diferença. A família tem sido atingida pelo vento feroz, pelas ondas bravias e pelas chuvas torrenciais da vida.
Se ela não estiver bem alicerçada vai ruir, não tem quem segure.
Quantas famílias que amanheceu o dia e elas não têm o privilegio de se reunir de se desejar um bom dia para o outro. E triste ter que dizer mas é verdade, maridos mal-humorados, mulheres traídas (criou-se um blog convidando as pessoas para a prática da traição e por incrível que pareça tem sido um dos blogs mais acessado no momento, e por fim filhos rejeitados.
Mas eu tenho uma boa nova para você amado leitor e irmãos em Cristo Jesus. Existe uma luz de esperança.
Jesus Cristo cuja palavra dele pode fortalecer a família, traçar padrões e transformar o caráter do pai, da mãe e dos filhos (Mt 7.24-27).
Não se esqueça disso, a palavra de Deus é a benção que enriquece e não acrescenta dores pois, Deus é o Deus da graça, que quer tratar a alma humana e quer aprofundar o seu caráter na minha e na sua vida. Sua honestidade, sua generosidade, seu amor, sua compreensão e seu perdão. Uma família com o caráter de Deus é família que sabe superar toda influencia maléfica do pós-modernismo, sabe enfrentar os vendavais, nadar contra as correntes contrarias, vencer o inimigo e sair ilesa, triunfante e coesa (unida) diante de Deus.
Bibliografia:
Perigos da pós-modernidade – Elinaldo Renovato.
Filosofia e cosmovisão cristã – J. P. Moreland e William Lane Craig.
O desafio do mundo pós-moderno – Editora Cristã Evangélica.                                                                                                                                 Bíblia Shedd – Antigo e Novo Testamento.       

Um comentário: